Esse site foi visitado: 1990655
 
 
Report OnLine - Área Exclusiva para Clientes
Login   Senha      


 ABC EXPURGO UM PASSO À FRENTE NO CONTROLE DE PRAGAS    info@abcexpurgo.com.br
Al. Dom Pedro de Alcântara 618, São Bernardo do Campo - NÃO TEMOS FILIAS NEM REPRESENTANTES
BUSCA  

Insetos & Cia

CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DO USO DE ARMADILHAS LUMINOSAS
Um dos problemas com pragas de mais dificil solução por métodos ditos convencionais tem sido o controle de dípteros (moscas,varejeiras) em áreas de produção de alimentos e fármacos.
UM FOCO EM PRAGAS CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DO USO DE ARMADILHAS LUMINOSAS Há uma tendência atualmente das indústrias migrarem para áreas mais afastadas dos grandes centros e ocuparem nichos ecológicos habitados por um grande numero de insetos. É bastante frequente a queixa de empresas com a presença de moscas, mosquitos, tesourinhas, mariposas e outros mais. Estes insetos vem atraídos principalmente pela luz emitida por estes estabelecimentos. Em geral, não se inclui no planejamento do estabelecimento a colo-cação de recursos anti insetos e , não raro, a intenção é resolver os problemas futuros com o uso de inseticidas. Porém estes tem limites de uso. Não se entende como procedimento seguro aplicar constantemente inseticidas espacialmente em ambientes internos, especialmente se estes forem destinados à produção de alimentos ou fármacos. O princípio do controle de pragas é buscar os focos dos agentes perturbadores e eliminá-los. Ocorre que , quando falamos em insetos presentes na área rural o foco é a mata e é inviável aplicar inseticida nela sem causar prejuízos importantes para o ecossistema. Há necessidade de buscar alternativas mais seguras. As armadilhas luminosas com emissão de radiação ultra violeta é um dos recursos viáveis e que tem demonstrado bons resultados. Óbviamente que o uso destas armadilhas não dispensa a instalação de medidas anti insetos, tais como o uso de telas em janelas, molas em portas e cortinas de ar de boa qualidade. O FDA (Food and Drug Administration) publicou em 1987 uma separata constante do Manual de Proteção aos Estabelecimentos de Venda de Alimentos a respeito de uma questão que é a seguinte: “ Os equipamentos usados para eletrocutar insetos voadores são eficientes e aceitáveis para uso em estabelecimentos de venda em varejo?” Esta questão foi respondida pelo Serviço de Saúde Pública dos Estados Unidos através de um documento oficial e para embasar as afirmações foi feita uma ampla pesquisa bibliográfica. Vários aspectos foram considerados: instalação, altura, posicionamento, segurança, modelos mais eficientes, número de unidades a serem usadas. Relacionamos a seguir alguns pontos importantes do referido documento. 1 – Tais recursos são importantes para o controle de pragas de importância para a saúde pública e devem possuir bandejas para reter os insetos capturados. Estas bandejas devem ser limpas pelo menos semanalmente. 2 – Devem ser usados somente armadilhas fixadas em paredes. Armadilhas de teto não são recomendadas para estas áreas. 3 – O eixo da armadilha não deve ficar a mais do que 1 metro do piso. 4 - As armadilhas devem manter uma distância de 1,5 m dos alimentos. 5 – Armadilhas luminosas são eficientes para o controle de determinados insetos. Insetos rasteiros, como baratas e pragas de grãos armazenados, não são controlados com este recurso. 6 – As armadilhas devem ser instaladas em uma altura que seja compatível com os hábitos de vôo do inseto alvo. Para moscas em geral, recomenda-se a instalação a não mais do que 1 metro do piso. Para algumas borboletas de alimentos armazenados, sugere-se a instalação próxima do teto. 7 – A escolha do modelo e a determinação do número de unidades a serem instaladas depende dos insetos infestantes. Moscas não percebem lâmpadas de 15 watts a mais de 4 metros de distância. O brilho da lâmpada, o tamanho da armadilha, a área de reflexo e até a orientação das lâmpadas(verticais ou horizontais) podem interferir na eficiência. 8 – As armadilhas luminosas podem se tornar ineficientes na competição com outras fontes luminosas, tais como a luz do dia. 9 – Sabe-se que o alcance da visão das moscas para a luz é curto enquanto que a atração para odores é grande. Assim mais moscas poderão ser eliminadas se as armadilhas forem colocadas próximo às fontes de odor. Um ensaio de Lillie e Goddard (1987) demonstrou a eficiência do uso de armadilhas luminosas em restaurantes. Foram selecionados dois estabele-cimentos que possuíam diferentes horários de funcionamento. Duas armadilhas verticais , de parede , foram instaladas em cada unidade; uma armadilha na cozinha e outra na área de servir. As armadilhas eram ligadas e desligadas a cada 7 dias e a movimentação de moscas era observada durante cada ciclo. Os resultados obtidos mostraram que quando as armadilhas estavam ligadas elas capturaram cada uma cerca de 200 moscas por semana. Foi observada uma redução em 72% na presença de moscas quando as armadilhas estavam ligadas. Resultados de 89 a 97% foram obtidos por Weidhass et al (1985), porém em condições diferentes, sem a existência de outras fontes de energia ultra violeta competitiva e manteve as portas do ambiente fechadas o tempo todo. O ensaio de Lillie e Goddard está mais próximo da realidade. O controle de moscas em áreas de produção de alimentos e fármacos não pode ser obtido através do uso de pesticidas. A única solução viável é o uso de barreiras físicas(telas, molas em portas) , educação dos usuários e mediante o uso de armadilhas com atratividade ultra violeta. Um detalhe importante recomendado por todos os fabricantes de armadilhas é a troca pelo anual das lâmpadas. Um recente artigo publicado na revista International Pest Control discute a durabilidade da emissão da energia ultra violeta , bem como todos os fatores que podem reduzir a sua eficiência. A radiação ultra violeta não é percebida pelo olho humano; somente pelos insetos. Assim , a única forma de verificar se a lâmpada ainda está irradiando é através do uso de sensores de ultra violeta, equipamentos portáteis que acusam a sua presença. Outros detalhes são também muito importantes para o aproveitamento total desta energia. A higienização das lâmpadas constante é uma prática muito importante, pois o acúmulo de poeira ou gordura diminui sensívelmente a emanação de ultra violeta, reduzindo consequen-temente a performance da armadilha. O uso de armadilhas luminosas é atualmente o melhor recurso existente para o controle de moscas, abelhas e outros insetos que invadem a produção de alimentos e fármacos. É importante buscar equipamentos que sejam duráveis, que tenham pouca ou nenhuma manutenção para que a finalidade de controle de insetos alados seja realmente atingida.• 1/6/2000